Pesquisar este blog

SHOPPING DX

AUGUSTO CURY

sábado, 25 de maio de 2013

Cosplay


O Que é Cosplay?



Existem muitas maneiras pelas quais os fãs têm demonstrado seu apoio e apreço às obras da cultura pop. Talvez uma das mais explicitas e populares nos dias atuais seja o cosplay. Contração das palavras em inglês costume(traje/fantasiae play / roleplay (brincadeira, interpretação), o cosplay é um hobby que consiste em fantasiar-se de personagens oriundos, em geral, de quadrinhos, games e desenhos animados japoneses. A prática do cosplay também engloba personagens pertencentes ao vasto universo do entretenimento, como filmes, séries de TV, livros e animações de outros países. Em menor escala há aqueles que caracterizam-se como figuras históricas ou de criações originais.
Uma das principais características do cosplay é que o praticante além de criar os trajes, também interpreta o personagem caracterizado, reproduzindo os traços de personalidade como postura, falas e poses típicas. O hobby costuma ser praticado em eventos que reúnem fãs desse universo, como convenções de anime e games.

Aos olhares desavisados a brincadeira pode parecer um tanto excêntrica, muitas vezes retratada de forma indevida e repleta de esteriótipos sobre o perfil daqueles que a praticam. No entanto basta conhecer esse universo mais a fundo para perceber que seus praticantes revelam-se pessoas comuns, que tem um dia-a-dia tão normal quanto qualquer outro. O que os diferencia no entanto, é sua capacidade de trazer para a realidade momentos e figuras do mundo da fantasia e ficção que causam tanto fascínio entre o público. Longe de serem reclusos e isolados, os adeptos do cosplay mostram-se, em geral, altamente sociáveis; ao contrário de uma atividade meramente escapista, a prática do cosplay exige preceitos sólidos como organização, capacidade de superar desafios, explorar a criatividade e o potencial artístico nas caracterizações.


Origem
Forrest J. Ackerman, e Myrtle R. Douglas na Worldcon de 1939.A história do cosplay está intimamente ligada à história das convenções de ficção científica nos Estados Unidos. O primeiro exemplo moderno dessa prática ocorreu em 1939, durante a 1ª World Science Fiction Convention, ou Worldcon, em New York, quando um jovem de 22 anos chamado Forrest J. Ackerman, e sua amiga Myrtle R. Douglas compareceram ao evento como os únicos fantasiados entre um público de 185 pessoas. Ackerman, que anos mais tarde se tornaria um dos nomes mais influentes no campo da ficção científica, usava um rústico traje de piloto espacial o qual chamou de "futuricostume", e Myrtle estava caracterizada com um vestido inspirado no filme clássico de 1936 "Things to Come", baseado na obra de H.G. Wells. Ambos causaram agitação entre o público, resultando em um clima de estreitamento entre a ficção e a realidade que mudou pra sempre a cara das convenções do gênero. As fantasias da dupla, confeccionadas por Myrtle, ou "Morojo", como era conhecida, fizeram tanto sucesso que no ano seguinte dezenas de fãs compareceram à convenção em trajes de ficção científica.

A prática cresceu ao longo do tempo, levando ao surgimento dos masquerades, concursos que não se limitavam a exibir as fantasias, mas permitiam aos participantes realizar apresentações criativas e que entretiam o público.O hobby de fãs fantasiados ficou conhecido pelo termo costuming ou fan costuming, e esteve confinado às convenções de ficção científica, essencialmente na América do Norte, por várias décadas. Tudo mudou em 1984 quando Nobuyuki Takahashi, de um estúdio japonês chamado Studio Hard, visitou a Worldcon daquele ano, em Los Angeles. Ele ficou tão impressionado com o masquerade apresentado que publicou sobre isso frequentemente em revistas japonesas de ficção científica, criando e difundindo um novo termo para definir o que havia presenciado: Cosplay. Nos anos seguintes já era possível encontrar dezenas de fãs fantasiados nas convenções japonesas, e a prática de se caracterizar como personagens de anime e mangás tornou-se um verdadeiro fenômeno no país. Tal sucesso fez surgir lojas, publicações e profissionais especializados no hobby, criando uma verdadeira indústria do cosplay no Japão.
Image
Nobuyuki Takahashi criou e difundiu o termo cosplay
Na década de 90, com a explosão do anime pelo mundo, o cosplay foi reintroduzido nos Estados Unidos, dessa vez em uma escala muito maior. O termo popularizou-se rapidamente através das dezenas de convenções de anime que surgiram no país, levando muitos dos novos praticantes - ou "cosplayers", a acreditarem errôneamente que o hobby havia sido criado no Japão, quando na verdade os EUA já possuiam uma tradição de quase meio século. Devido a isso, é muito comum nos Estados Unidos o termo cosplay ser usado para se referir exclusivamente às caracterizações de animes, games ou mangas japoneses, enquanto o termo mais tradicional "costuming" é usado em relação às fantasias de sci-fi ou de obras ocidentais.

Apesar do Japão ter importado essa subcultura dos EUA , existem algumas diferenças na forma que o hobby é praticado nos dois países. Os norte-americanos ainda hoje seguem o modelo criado no Worldcon, onde os cosplayers criam suas próprias fantasias e competem em convenções de fãs. Além disso, fantasias originais são bem-vindas e incentivadas. No Japão o cosplay envolve caracterizar-se como um personagem pré-existente, mesmo que a origem não seja de anime ou mangá. Desse modo, o foco é parecer o mais fiel possível. Como se trata essencialmente de reproduzir com fidelidade um determinado personagem, não há nenhuma ênfase na criação de fantasias originais ou que os trajes sejam confeccionados pelos cosplayers. Também vale citar que o Japão não possui os mesmos tipos de competições que os norte-americanos, e a principal atividade relacionada ao cosplay nipônico é reunir-se em grupos e fazer sessões de fotos. Por fim, o cosplay é um hobby praticado predominantemente por jovens mulheres no Japão, enquanto nos EUA sua prática é ampla em ambos os sexos e em diversas idades.
Forrest J. Ackerman,  o pioneiro de 1939, consagrou-se  como um renomado editor de publicações de ficção científica e se tornou um lendário colecionador de itens relacionados, além de ser o criador da personagem de quadrinhosVampirella. Ackerman também foi agente literário de Isaac Asimov, e serviu de inspiração para nomes como Steven Spielberg, Stephen King e George Lucas. Faleceu no dia 4 de dezembro de 2008, aos 92 anos, deixando um legado inestimável para o mundo da ficção científica, terror clássico, fantasia e toda a cultura que surgiu desse universo, como o cosplay. Foi extremamente influente não somente na origem, organização e no crescimento do movimento de fãs, mas também desempenhou um papel fundamental no processo de aceitação e assimilação pelo grande público daquilo que denominou como "sci-fi", consagrando a ficção científica como forma de arte respeitada, seja na literatura, filmes e outras mídias.

Cosplay no Brasil
Cosplayers na convenção Animecon de 2001.Embora existam relatos da presença de fãs fantasiados em convenções de Jornada nas Estrelas já em meados da década de 80, e posteriormente em encontros de jogadores de RPG e fãs de animes em 1994, acredita-se que o cosplay, como um hobby, chegou ao Brasil por volta de 1996, junto com a primeira convenção de animes do país, o Mangacon. Realizado na cidade de São Paulo pela ABRADEMI - Associação Brasileira de Desenhistas de Mangá e Ilustrações, o evento é considerado o marco inicial da difusão do cosplay no Brasil, sendo realizado em um período de redescobrimento dos animes na televisão brasileira. Ao longo dos anos a prática do cosplay cresceu de forma exponencial, espalhando-se por todas as regiões do país.
A forma que o cosplay é praticado no Brasil caracteriza-se por uma mistura do modelo americano e japonês. O conceito norte-americano do masquerade foi importado e adaptado tornando-se o tradicional concurso de cosplay das convenções de anime brasileiras. De influência japonesa, podemos citar a ênfase na caracterização de personagens pré-existentes e o foco na busca pela fidelidade, além da predominância de fantasias inspiradas em animes, mangas e games japoneses.
Atualmente existem milhares de praticantes espalhados pelo país, e os maiores eventos que reúnem fãs do hobby chegam a alcançar um público de mais de 40 mil pessoas.

Referências:
 - Dr. John L. Flynn  -  Costume Fandom: All Dressed Up with Some Place to Go! -  Costuming for Fun and Fandom. Starlog June 1989: 53-56. 
 - Arquivo Cosplay Brasil
Atualizado em ( 01-Out-2012 )
 FONTE:BRASIL: http://www.cosplaybr.com.br/site/index.phpINTERNACIONAL: http://www.cosplay.com/

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Jean Michel Jarre



Jean-Michel André Jarre (Lyon24 de agosto de 1948) é um instrumentistacompositor e productor musical francês, filho do aclamado compositor de trilhas sonoras Maurice Jarre.1
Jean-Michel é um pioneiro da new agemúsica eletrônica e música ambiente. É conhecido como um organizador de espetáculos ao ar livre de sua música, que combina luzes, displays de laser e fogos de artifício.
Seu primeiro grande sucesso foi o álbum Oxygène, lançado em 1976. Gravado em um estúdio improvisado em sua casa, o álbum vendeu cerca de 12 milhões de cópias em todo mundo. Oxygène foi seguido de Equinoxe, lançado em 1978, e em 1979, Jarre se apresentou para um público recorde de mais de um milhão de pessoas, na Praça da Concórdia, em ParisFrança, um recorde que ele mesmo quebrou três vezes. Mais álbuns seguiram-se, e seu show de 1979 serviu como modelo para suas actuações futuras em todo o mundo.
Até o ano de 2004, Jarre tinha vendido aproximadamente 80 milhões de álbuns.2 Ele foi o primeiro músico ocidental a ser autorizado a realizar um show na República Popular da China, e detém o recorde mundial para a maior público num evento ao ar livre.

Biografia [editar]

Considerado por muitos o pioneiro na música electrónica pop, bem como um “quebra-recordes” de espectáculos ao ar livre nos quais inclui efeitoslaser, de pirotecnia, conjugando imagens projectadas com a arquitectura existente no local do espectáculo, juntando a isso os efeitos surround dos seus temas. O seu primeiro single "oficial" foi La Cage/Erosmachine de 1970, as músicas são bastante experimentais. Muitos afirmam que Jarre gravou as escondidas nos estúdios da GRM durante a noite, e utilizou tudo que esteve em suas mãos para criar efeitos, como por exemplo uma maquina de escrever.
Jarre vendeu estimadamente 80 milhões de álbuns e singles ao longo da sua carreira (desde 1971) e bateu 4 recordes no Guinness World Records Book.
Em 1986 ele trabalhou num concerto com a NASA: o astronauta Ronald McNair iria tocar o solo de saxofone da música Rendez-Vous VI enquanto estivesse em órbita no Ônibus espacial Challenger3 , enquanto os seus batimentos cardíacos seriam usados como amostras de som na mesma música. Esta seria a primeira música gravada do espaço, a ser incluída no álbum Rendez-Vous. Após o desastre com a espaçonave Challenger em 28 de Janeiro de 1986, a música foi gravada com outro saxofonista, recebeu o nome de Last Rendez-Vous - Ron's Piece e tanto a música, como o álbum foram dedicados aos astronautas mortos no acidente com a Challenger. Ele é um Embaixador da Boa Vontade da UNESCO, dedicado à causa da cultura, informação e liberdade.

Oxygene [editar]

Jarre ao vivo tocando harpa à laser,HelsinkiFinlândia 2009.
Em 1976 é lançado pela Disques Dreyfus o seu primeiro LP totalmente instrumental e sintetizado, Oxygene, que teve um sucesso estrondoso naFrança e só um ano mais tarde é lançado no resto do mundo pela Polydor, obtendo igual importância em outros países como por exemplo, o Reino UnidoPortugalEspanhaEstados UnidosBrasil, etc.
Devido à grande importância de "Oxygene", Jean-Michel Jarre recebe ainda em 1976 vários galardões, como o 'Grand Prix Du Disques' da Charles Cross Academy. Em 1977 a revista americana "People", coloca Jean Michel Jarre como uma das personalidades do ano, feito notável para um artistafrancês que tinha acabado de lançar o seu primeiro álbum. Deste LP, para além da sua interessante capa, (o planeta Terra desfazendo-se, com um crâniopor dentro), destacam-se os famosos singles Oxygene II e Oxygene IV, sendo o primeiro adaptado em vários anúncios comerciais, e o segundo alvo de variadíssimas covers e do seu primeiro video-clip, em que numa das versões mostra inúmeros pinguins andando no gelo.

Music For Supermarkets [editar]

Em 1983, um grupo de pintores e escultores franceses iriam realizar uma exposição sobre supermercados. Assim tiveram a idéia de chamar um músico de grande prestígio para compor a base musical da exposição, então contactaram Jean-Michel Jarre.
Jarre se interessou pela idéia e compôs 30 minutos de música para a exposição. Foram 3 meses de trabalho. Durante esse período, ele comparou seu futuro álbum com uma pintura ou escultura. Assim decidiu que seria produzida apenas uma cópia e depois posta à venda; Depois da dita exposição ocorrida no Hotel Drout em 6 de Julho de 1983, o álbum foi a leilão sendo vendido por 69.000 FF, tornando-se o álbum mais caro vendido na França. O dinheiro arrecadado foi doado aos artistas responsáveis pela exposição, e no mesmo dia o álbum foi tocado integralmente pela única vez na RadioLuxemburgo e o próprio Jarre autorizou que os ouvintes gravassem em fitas as músicas do álbum.
Embora o álbum seja único, algumas partes de seu conteúdo foram aproveitadas em futuros trabalhos de Jarre como Rendez-Vous e Zoolook.

Os anos na Dreyfus [editar]

Jean Michel Jarre permaneceu por mais de 25 anos na gravadora francesa Disques Dreyfus, foi lá onde inciou sua carreira com o apoio de Francis Dreyfus, o dono da gravadora. Enquanto esteve nela, lançou os álbuns mais bem sucedidos de sua carreira como Oxygene (1976), Equinoxe (1978) dentre outros. Na gravadora, Jarre também atuou como produtor e ajudou vários artistas e grupos musicais a conquistarem espaço na mídia francesa como foi o caso de Gérard LenormanTriangleChristophe (com quem trabalhou também como produtor e letrista de seu single "Les Mots Bleus") além de produzir dois álbuns de Patrick Juvet.
Jarre em um concerto da Oxygene Tour em MilãoItália.
Mas com o passar do tempo, a Dreyfus não concordou com as experimentações que Jarre queria fazer, como os álbuns Sessions 2000 (2002) eGeometry of Love (2003), o que o levou a abandonar a gravadora. Com o rompimento do contrato, não foi permitido que Jarre recuperasse sua discografia oficial anterior ao ano 2000. Assim a Disques Dreyfus pode fazer o que bem entender com o catálogo antigo do maestro. Atualmente, depois de uma passagem pela Warner Music, Jarre está agora na EMI onde lançou um álbum em comemoração aos 30 anos do álbum Oxygene de 1976.

In-Doors World Arena Tour 2009-2010 [editar]

Após ter realizado durante o ano de 2008 uma turnê por vários países para celebrar o aniversário de seu primeiro sucesso, Oxygene de 1976, Jean Michel Jarre está preparando uma nova turnê que busca resgatar seus maiores sucessos em versões totalmente reformuladas. A grande surpresa é que assim como na turnê Oxygene, Jarre utilizará instrumentos analógicos e não fará uso de playback e computadores como era de costume em seus shows no passado. Será a primeira turnê em que não existe um álbum como carro-chefe, mas anunciou que novos materiais estariam sendo testados para utilizá-los em futuro álbum a ser lançado no fim de 2009 ou começo de 2010.

Discografia [editar]

Álbuns de estúdio [editar]

NOTAS"Les Granges Brulées" é a trilha sonora do filme de mesmo nome. "Music for Supermarkets" teve apenas um único exemplar feito. Os títulos em francês para "Magnetic Fields" e"Waiting For Cousteau" são, respectivamente, Les Chants Magnétiques e En Attendant Cousteau"Interior Music" teve tiragem limitada de apenas 1000 cópias. "Oxygene: New Master Recording" é também chamado "Oxygene: Live in Your Living Room".

Álbuns ao vivo [editar]

Compilações [editar]

Outros álbuns [editar]

  • 1991 Palawan
  • 1992 Swatch the World
  • 1994 Concert Acoustique
  • 1994 Rarities
  • 1994 Oxygene: Trance Remix
  • 1995 Rarities 2
  • 1995 Jarremix (remixes)
  • 1997 Rarities 3
  • 1998 Odyssey Through O2
  • 2006 Sublime Mix (promo)
  • 2006 The Symphonic Jean Michel Jarre (versões orquestradas)
  • 2006 Live Printemps de Bourges 2002 (download digital apenas)
NOTA: O álbum "Odyssey Through O2", de 1998, é um álbum de remixes das músicas originais de Jarre, produzido por outros artistas.

Singles [editar]

Abaixo estão os principais singles de Jean Michel Jarre, produzidos para si mesmo. Jarre também compôs muitas canções para outros artistas, em fins dos anos 60 e início dos anos 70, que foram lançadas como singles.
  • 1971 La Cage/Erosmachine (7'single)
  • 1972 Freedom Day/Synthetic Man (7'single)
  • 1972 Viens Avec Nous (7'single)
  • 1972 Pop Corn/Black Bird (7'single)
  • 1973 Hypnose (7'single)
  • 1974 Cartolina/Helza (7'single)
  • 1975 La Belle Et La Bete (7'single)
  • 1976 Oxygene - Part 4 (7'single)
  • 1977 Oxygene - Part 2 (7'single)
  • 1978 Equinoxe - Part 5 (7'single)
  • 1978 Equinoxe - Part 4 (7'single)
  • 1980 Jarre Et La Concorde (7'single)
  • 1981 Magnetic Fields - Part 2 (7'single)
  • 1981 Magnetic Fields - The Last Rumba (7'single)
  • 1981 Magnetic Fields - Part 4 (7'single)
  • 1982 Orient Express (7'single)
  • 1982 Souvenir de Chine (7'single)
  • 1984 Zoolook (7'single)
  • 1998 Rendez-Vous 98
  • 1998 Together Now
  • 2007 Vintage
  • 2007 Téo & Téa (feat. Benny Benassi)

Videografia [editar]

DVD [editar]

  • 1997 Oxygene In Moscow
  • 2004 Live In Beijing
  • 2005 Jarre In China
  • 2005 Solidarnosc Live
  • 2007 Oxygene in Moscow DVD (inclui o show e o "The Making of Oxygene in Moscow")
  • 2007 Oxygene: Live In Your Living Room (DVD 3D+CD)

VHS [editar]

  • 1980 Place de la Concorde
  • 1989 The China Concerts
  • 1989 Rendez-vous Houston: A City in Concert
  • 1989 Rendez-vous Lyon
  • 1989 Destination Docklands
  • 1991 Images
  • 1992 La Defense - A City In Concert
  • 1994 Europe In Concert
  • 1995 Concert pour la Tolerance
  • 1998 Paris Live: Rendez-vous 98 Electronic Night

Referências

  1.  Georgie Rogers. Jarre pays tribute to late fatherBBC. Página visitada em 28 de maio de 2012.
  2.  Jean Michel Jarre. spectrasonics. Página visitada em 28 de maio de 2012.
  3.  Concerts - Rendez-Vous Houston. questbbs. Página visitada em 28 de maio de 2012.

Ver também [editar]

Ligações externas [editar]

Commons
Commons possui multimídias sobre Jean Michel Jarre


FONTES:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Jean_Michel_Jarre
http://www.jeanmicheljarre.com/
http://avbmp.bandcamp.com/album/ultimate-electronic-music

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Filosofia Transcendentalista



Ralph Waldo Emerson (25 de maio de 1803Boston - 27 de abril de 1882ConcordMassachusetts) foi um famoso escritor, filósofo e poetaestado-unidense.
Emerson fez seus estudos em Harvard para se tornar, como seu pai, ministro religioso. Foi pastor em Boston mas interrompeu essa atividade por divergências doutrinárias sobre a eucaristia.
Em 1833 viaja pela Europa e encontra MillColeridgeWordsworth e Carlyle, cultivando uma profunda amizade com este último.
De volta aos Estados Unidos, começou a desenvolver sua filosofia "transcendentalista", exposta em obras como NaturezaEnsaios e Sociedade e solidão.
transcendentalismo é, para Emerson, um esforço de introspecção metódica para se chegar além do "eu" superficial ao "eu" profundo, o espírito universal comum a toda a espécie humana.
O clube transcendentalista de Concord, ao qual pertenciam entre outros Thoreau e Margareth Füller, e cujo órgão oficial era a revista The Dial, exercia grande influência sobre a vida intelectual americana do século XIX.

DEFINIÇÃO DA FILOSOFIA
Transcendentalismo é o nome do grupo de novas idéias na literaturareligiãocultura e filosofia que prega a existência de um estado espiritual ideal que "transcende" do físico e o empírico somente perceptivo por meio de uma sábia consciência intuitiva. O conceito surgiu na Nova Inglaterra, na metade do século XIX. Às vezes é chamado de "Transcendentalismo Estadunidense" para distingui-lo dos outros usos da palavra transcendental. Começou como um protesto contra o estado em que a cultura e a sociedade se encontravam na época, e, em particular, ao estado dointelectualismo de Harvard e a doutrina da Igreja Unitária ensinada na Harvard Divinity School.

História [editar]

A publicação do artigo Nature, de Ralph Emerson torna-se o divisor de águas do momento em que o Transcendentalismo se torna um grande movimento cultural. Emerson escreveu: "Nós andaremos com nossas próprias pernas; trabalharemos com nossas próprias mãos; falaremos com nossas próprias mentes... Uma nação de homens finalmente existirá, porque cada um de nós inspira a Alma Divina." Emerson terminou o artigo chamando a todos para uma revolução do pensamento humano a surgir de uma nova filosofia idealista:
Então, vamos todos olhar para o mundo com nossos próprios olhos. Será a resposta para a infinita pergunta de nosso intelecto — O que é a verdade? O que é bom? —. Construí vosso próprio mundo. Vossa mente adotará enormes proporções quando se desabrochar. Uma revolução nas coisas irá determinar o fluxo dos espíritos.
No mesmo ano, o Transcendentalismo tornou-se um movimento coerente com a fundação do Transcendental Club em CambridgeMassachusetts, em 8 de Setembro de 1836, pelos intelectuaisChristopher HowardGeorge PutnamRalph Waldo Emerson, e Frederick Henry Hedge.
Os objetivos práticos dos transcendentalistas eram variados. Alguns do grupo ligavam o movimento com uma mudança social utópica (e, como Orestes Browson disse, estava também ligado aosocialismo), enquanto outros o viam como um projeto individual e idealista. Emerson era partidário da segunda visão. Em sua leitura de The Transcendentalist, em 1842, Emerson sugeriu que o objetivo de uma visão de vida puramente transcendental era impossível de se obter na prática:
Podeis ver neste escrito que não existe algo como um 'grupo' transcendental; não existe um puro transcendentalista; não temos nada a não ser profetas e arautos desta filosofia; sabemos que todos os que se inclinaram para o lado espiritual da doutrina não foram muito longe em sua busca. Tivemos muitos soldados, mas nenhum vitorioso. Saber disso, porém, é o melhor caminho para quebrar essa regra.
Nathaniel Hawthorne escreveu um romance, The Blithedale Romance, satirizando o movimento, baseado em sua experiência em Brook Farm, uma sociedade utópica baseada nos princípios transcendentalistas.

Traços do pensamento transcendentalista 

Definidos em "The Transcendentalist", de Ralph Waldo Emerson:
  1. Respeito pelas intuições
  2. Abstenção de trabalho e competição
  3. Busca de um estilo de vida solitário e crítico
  4. Consciência da desproporção entre as habilidades de um homem e o trabalho causado por elas
  5. Evitar influências
  6. Evitar a sociedade em geral
  7. Apreciação pela natureza, pelo seu simbolismo
  8. Vida em ambientes rurais
  9. Trabalhar e divertir-se em solidão
  10. Ter paixão pelo extraordinário
  11. Não é boa para cidadãos ou membros da sociedade
  12. Felicidade, afeição, suscetível a ser amado
  13. Exigência com a natureza
  14. Desapontamento com a humanidade
  15. Sociável
  16. Unir beleza e poder
  17. Idealismo
  18. Admitir as limitações dos sentidos
  19. Respeitar o governo só se este defende as leis de suas mentes
  20. A realidade se origina de um "centro desconhecido" dentro de cada um de nós
  21. Rejeitar doutrinas espirituais
  22. Não se engajar em atividades públicas, como missões religiosas ou votar
  23. Morto ou paralisado em essência
  24. Rejeita a rotina, pois não há muita virtude nela
  25. Constantemente esperando ordens divinas
  26. Desdém pela educação organizada

Origens 

As raízes do Transcendentalismo estão na filosofia transcendental de Immanuel Kant, que os intelectuais ingleses adotaram como alternativa ao "sensorialismo" de Locke.
Os transcendentalistas desejavam dividir sua religião e filosofia em princípios transcendentais: princípios não baseados em experiências sensoriais, mas vindas do interior espiritual ou mental do ser humano. Kant chamou todo o conhecimento de transcendental, pois não se prende somente a objetos, e sim a camadas de nossas mentes." Os transcendentalistas eram muito ligados à filosofia alemã, e às idéias de Thomas CarlyleSamuel Taylor ColeridgeVictor CousinGermaine de Staël, entre outros autores.

ver também 

Ligações externas 

Em inglês


Obras

As obras em prosa de Emerson incluem:
Apesar de ser mais reconhecido como ensaísta, Emerson também escreveu e traduziu poemas. A poesia de Emerson inclui:
  • Coleções:
    • Poems (1847)
    • May-Day and Other Pieces (1867)
    • Selected Poems (1876)
  • Poemas:
    • "Threnody"
    • "Uriel"
    • "Works and Days"
    • "Concord Hymn" (origem da frase "The shot heard round the world") (O tiro ouvido no mundo todo).

FONTES: 
http://pt.wikipedia.org/wiki/Thomas_Carlyle
http://www.brasilescola.com/biografia/ralph-waldo-emerson.htm